terça-feira, abril 25, 2006

Uma Visita Inesperada

Olá Doidas!!!!















Pensavam que eu tinha abandonado a casa mais famosa de Portugal?
Qual Big Brother, qual Quinta das Vacas, desculem, Quinta das Celebridades...o que está a dar é Albacor... ou nao?
Longe da vista, mas perto do coracao...
Bem, como me encontro ausente por um tempinho queria deixar um presente de Páscoa atrasado para a Irmandade do Pénis e associadas... Um souvenir de terras onde Mozart e o colega da psicóloga pequenina perderam as botas...

Beijos muito grandes para todas
Albacora 32 ou Albacora 32´ = - p

ps: beijos do glu glu

quarta-feira, março 29, 2006

escravidão

Escravidão da Cozinha

Enquanto vai anoitecendo uma dúvida que está no ar vai-se acentuando – “quem vai fazer o jantar.” Toda gente fugia dessa tarefa penosa – “Nem sei porque?!” – De um grupo de dez pessoas a dificuldade é haver alguém que não tenha desculpas:

- Eu não cozinho. Já cozinhei ontem…
- Eu cozinhei ao meio-dia, pôs a mesa e lavei a louça… sozinha.
- Eu não janto cá.
- “Tenho de ir estudar” – diz Capataz. A rapariga mais conflituosa. Brinca com toda gente mas não aceita as brincadeiras que fazem com ela.
- Eu tenho um trabalho para fazer.
- Amanhã tenho coisas para entregar.
- Eu não faço.

Depois de uma enorme conferência é encontrada a desgraçada para a tarefa mais dolorosa que existe – “cozinhar!” – Estas são sempre as mesmas.

Mas estamos a penas no ponto do ‘iceberg’. A seguinte decisão é pensar o que vai-se fazer. Normalmente não é nada muito elaborado, e é sempre algo rápido de fazer – “massa com atum.” Mas o problema maior é depois de toda gente encher a mula. Mas não é difícil arranjar voluntários à força para lavar a tonolada de loiça usada – as vezes durante o dia todo.

Ainda está bem vivo, na memória de muitos, o período que a miau era a “Escrava Isaura”. Passava horas a lavar loiça interminável. Parecia que a loiça suja reproduzia-se, em minutos.

Esse tempo ficou para trás, e a tarefa lavar a loiça é então uma discussão sempre em aberto.

albacora 14

sexta-feira, março 24, 2006

Não, não tão a ver a dobrar
























Apresento vos as gémeas albacoras 37 e 37’ e o seu quarto super pink, como as podem distinguir perguntam me vocês? Têm 2 hipóteses pela cor do cabelo, ou pelo sinal no sobrolho. Também têm uma terceira hipótese a albacora 37 anda sempre acompanhada por um bebé macacoide e bazeza; é mais radical e mais paciente do que a sua gémea albacora 37’. É de salientar que a albacora 37 é mais velha do que a 37’ 5 minutos….é bué da mais velha meus amores. Leoas de coração…moçambicanas falsificadas…actualmente portimonenses…um amor em comum…a sobrinha.

Albacora 30

Albacora 32

Albacora 32, companheira de quarto da albacora 32’ que neste momento se encontra na Áustria com o glu glu, a nossa psicóloga açoreana de serviço. Moça pequenina mas de feitio forte e de uma determinação impressionante; gosta muito de beber chá e de comer pipocas queimadas a ver um bom filme. Tem um forte defeito, pelo menos para mim, é benfiquista ferrenha mas, defeitos há parte, até é boa rapariga.

Albacora 30

sexta-feira, março 17, 2006

Como aqui somos todas meninas... há que defender a nossa espécie!!!

«Os homens são mulheres avariadas

O que os cientistas descobriram agora é que o cromossoma Y é uma versão degradada, estragada e avariada do cromossoma X.
Há umas semanas, uma discreta notícia publicada na inofensiva secção de curiosidades bizarras de uma revista abriu-me os olhos para uma incrível revelação que deveria ter feito a Humanidade parar, para além de, num mundo justo, valer aos autores da descoberta o Prémio Nobel. A revelação afectou-me de tal maneira que já dissertei sobre ela na rádio, já desenhei um cartoon sobre o inquietante assunto e quando me contactaram da Activa, convidando-me a escrever um artigo, achei que fazia todo o sentido falar sobre isto numa revista feminina. A verdade é que, perante a revelação de que vos falo, nem sequer a expressão "revista feminina" por oposição a "revista masculina" faz sentido. A verdade é que nós, homens, somos no fim de contas, mulheres avariadas.
Passo a explicar. Dizia a notícia, disfarçada de inofensivo chiste para jantares de empresa, que cientistas chegaram à conclusão de que os homens estão muito mais sujeitos a apanhar todo o tipo de doenças do que as mulheres, uma vez que as mulheres possuem a famosa combinação de cromossomas XX, enquanto os homens possuem a não menos famosa combinação de cromossomas XY. O que os cientistas descobriram agora é que o cromossoma Y (que, no fundo, é o que faz de nós uns homens - não a tropa) é, no fim de contas, uma versão degradada, estragada e avariada do cromossoma X. E que o equilíbrio que as mulheres têm com a dupla XX os homens não têm com o deprimente XY, daí as doenças e o facto de morrermos mais cedo do que elas.
O que está aqui a ser dito é que a norma seria o XX. A Humanidade deveria ser toda XX. Calhou, no entanto, a algumas criaturas à face deste planeta a infelicidade de ter a combinação não de dois X mas de um X e um Y, essa versão arruinada do X. Aliás, basta olhar para as letras: o que é o Y, senão um X a quem caiu uma das pernas e que tem que se equilibrar precariamente, qual Saci Pererê, num único e frágil suporte?
Para quem ainda não percebeu - e eu ainda não fui suficientemente claro porque estou meio em negação -, o que este estudo nos está a dizer é que era suposto existirem apenas mulheres no mundo. Por um azar, uma corrente de ar, qualquer coisa que correu mal na Criação, um cromossoma estragou-se. E aparecemos nós: esta anomalia a que se convencionou chamar "homem".
Tenho tonturas ao pensar nisto. Ao pensar que sou uma anomalia. Isto põe em causa séculos e séculos de conceitos que tínhamos como certos. A ideia que somos o sexo forte. A importância que damos ao nosso pénis. Sendo que somos uma anomalia, à luz destas novas descobertas, a importância do nosso pénis é a mesma de uma borbulha ou de um furúnculo, uma vez que, tudo indica, era suposto termos uma vagina.
Isto é uma situação profundamente dramática, pelo que quero apelar às mulheres de Portugal que, perante a bombástica revelação, não a usem contra nós, evitando assim expressões tais como: "Estás a ver?", "Ora toma !" ou "E agora, quem é o sexo forte?". Mais do que nunca, precisamos de carinho e compreensão. Contamos convosco!
Pronto. Está escrita toda a parte do artigo que é para ser lida pelas mulheres, público-alvo desta revista. Obrigado pela vossa atenção e passem à frente: há muito bom artigo, nas próximas páginas, à vossa espera, sobre hidratação da pele e dietas. O que se segue é só para os homens. Vão em frente, mulheres. Estejam à vontade. Obrigadíssimo. Até um dia destes.
Tchau. Boa viagem.
(PARA OS GAJOS: Malta, isto não são más notícias. Já se aperceberam bem do potencial desta coisa em termos de auto-vitimização? É lindo! "Não grites comigo, sou uma anomalia." Estamos safos por uns tempos. Acho eu.)»
Nuno Markl - criativo, in "ACTIVA" nº 175, Junho 2005
.
ehehe
Tá dito tá dito!!! E por um homem!!!
.
albacora "culpada"

quarta-feira, março 01, 2006

E mais um presente especial... Aqui é Natal todos os dias!!!


Directamente das vossas televisões ou mesmo apenas do vosso imaginário, viemos fazer uma vizita pelo vosso blog... Viemos para dizer um "oi" à albacora 14, mas ficámos bem mais contentes quando vimos que ela se resolveu estrear como reporter albacor do blog da mais querida e mais maluca residência da UAlg.
Então albacora 14, este é o teu presente especial de participação... Esperamos que continues a escrever mais vezes, viemos dizer um "olá", e quando tiveres saudades nossas passa por aqui.
*
* * * Beijinhos da Luna (preta e corajosa) e do Artemis (medroso e branco) * * *

enfim...



Eu podia falar de muita coisa... mas a esta hora falar é o que menos apatece fazer ...

como diz o povo:
uma imagem fala tudo



um a parte
(esta fui a nova aventura)
por isso nao percam o proximo episodio k nosso tambem nao... lololo

albacora 14

consegui :P

consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui consegui

albacora 14

terça-feira, fevereiro 28, 2006

Injustiças da Vida

Especial, Especial!!!



Quem é que não se recorda das nossas festinhas ao sábado?? Em que a malta se juntava para conviver e provar a especialidade da casa?



Eram noites cheias de alegria e de boa disposição...


e o jogos de uno que nunca mais acabavam…nunca cheguei a perceber como é que aquele baralho tinha tantas cartas especiais...

No fim das festinha é que era a desgraça...era gente a dobrar, pessoas com falta de equilibrio e outras...bem outras davam pra fazerem isto...

Bons tempos aqueles...

Albacora 20

domingo, fevereiro 26, 2006

A vizinhança



Atendendo à "nova notícia" que vem correndo pelo mundo fora, eu não podia aqui deixar falar dos nossos vizinhos mais "queridos" que não passam sem nos fazer uma vizita. Se queremos dormir, lá estão eles pela nanhã, bem dispostos e com a sua libido no auge, a namorar pelas nossas varandas, e fazendo uma barulheira infernal (inclui o bater de asas e as cantigas de acasalamento).

Mas por cá, nem nos preocupamos com o virus por alguns chamado H5N1 (com umas quantas variantes), mas que é normalmente chamado apenas por "gripe das aves".

O mais chato realmente é ter de limpar varandas, que estão sempre cheias de presentes e surpresas que estas maravilhosas criaturas nos deixam, desde penas a cocós, e isto para não falar quando resolvem presentear-nos com ninhos e ovos, e mais tarde com as suas crias.

Já tinham pedido um post dedicado aos nossos queridos pombinhos, que estão por toda a baixa de faro, e eu apenas não quis deixar ninguem desapontado.

Espero que tenha sido do vosso agrado...

.

(albacora 42)